Sou teu

Sou teu

Sei que não sabes, que não compreendes nem entendes, mas sou teu. Sou teu desde que o vento nos beijou os rostos e nos acariciou a alma como se fossemos feitos da textura do nosso amor. Agracio-te as palavras, admiro-te os gestos e compreendo-te as revoltas. Sou teu. Sou eu.

Como posso explicar em palavras a prisão mais livre que já encontrei? Não me interessa o chilrear dos pássaros quando eles não assobiam o teu nome. É uma melodia sem corpo, que me faz procurar-te a alma. Sou vazio, pareço vazio, mas confundo-te na minha imensidão. Falo para não estar calado, apresento respostas para não ter que formular perguntas, mas sou teu. Sempre teu. Acreditas?

Viajo pelas plumas de um Inverno que se constrói no céu e se destrói na tua alma. Crio combustões para disfarçar as minhas ausências, mas sou teu. E o que importa mais, para além da sensação de ser teu?

Nada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s