The Judge

The Judge

Ao nível de cinema sou o que se chama, em linguagem técnica, um nabo. Mas ao nível dos meus gostos sou bastante entendido. E se há coisa que me fascina, seja no cinema ou na literatura, é pegar no óbvio, no quase comum, e transformá-lo em algo mais.Dar-lhe brilho com palavras, ou imagens, não deixando de acrescentar alguma dose de imprevisibilidade. E isso é o que eu acho deste filme: repleto de coisas óbvias, trabalhadas com determinada classe, que vão confluir num clímax inesperado. E clímax não é o fim do filme, é o desenlace da acção.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s