Os anos de casados dos meus pais

anos de casados

Com eles é fácil aprender a amar. Erram e resolvem, apoiam e reclamam, crescem e estagnam, apoiam-se e apaparicam-se, fazem-me crescer.

Estão juntos há uma eternidade, já passaram por fases de júbilo e por fases difíceis, mas conseguiram vencer todas. As boas e as más. Acreditaram que nada era definitivo quando as coisas corriam mal, mas também acreditaram que nada era tão perfeito e duradouro como os momentos de êxtase que foram tendo. Aprenderam comigo e ensinaram-me, abraçaram-me e alertaram-me, beijaram-me e arreliaram-me, orgulharam-se e desiludiram-se.

Por vezes, ao longo da nossa vida, não compreendemos a calmaria que algumas relações vão encontrando, os prazeres em coisas miúdas que vão tendo, como se um jantar normal, como sempre acontece, pudesse ter uma magnificência que não compreendemos, mas depois vemos o desenrolar dos anos, o celebrar destas datas e compreendemos que há coisas muito maiores do que a vida. Os pequenos prazeres, a capacidade de compreender a grandiosidade das coisas mais pequenas, é que faz de nós pessoas mais ou menos felizes.

Ainda não tenho a constância deles, também ainda não tenho a idade deles, mas consigo todos os dias ir deles buscar coisas boas. Não são pessoas perfeitas, ninguém é, mas têm tantas coisas que me fazem admirá-los. Se calhar, não o digo tantas vezes como devia. A vida é madrasta, tantas vezes cala-nos as palavras que queremos dizer, mas acredito que quando somos capazes de aprender, quando sentimos que o nosso caminho se faz por nós, conseguimos recuperar essa capacidade de ir aproveitando o que de melhor a vida nos dá. Seja em oportunidades ou em pequenos prazeres. E eu tive a oportunidade de ter os pais que tenho e o prazer (nada pequeno) de acompanhar todos estes anos deles em conjunto.

Por isso, hoje, no dia em que celebram mais um ano de casados, deixo-lhes este texto. Sei que não o vão ler por agora, mas amar também é isto. Dar no silêncio, à espera de um dia receber de volta. Mas, se não recebermos, sempre saberemos que foi dado com o coração.

Parabéns, pais! Sou orgulhoso de ser vosso filho, com todas as vossas virtudes, mas também com todos os vossos defeitos. São vocês, e isso é que importa e me faz orgulhoso! Sermos nós, não termos medo de sermos nós e lutarmos pelo acreditamos, se formos boas pessoas, é sempre sinal de grandiosidade. Obrigado por tudo, pai; obrigado por tudo, mãe. Que a vida vos sorria sempre e que eu seja sempre uma parte e motivo desse sorriso.

Um beijo,

Do vosso filho!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s