25 de Abril – A nossa liberdade

Revolução dos cravos - A nossa liberdade é o conhecimentoAmanhã festejam-se os 40 anos do 25 de Abril, numa Assembleia vetada ao povo descontente, em que os deputados da oposição são amordaçados pela maioria vigente dos PSD e pela abstenção do CDS. Mas isso não importa muito, porque a liberdade não se faz apenas na “casa do povo”, faz-se também nas ruas do povo, na vontade do povo expressar o que sente.

As dificuldades são inerentes à vida. Não à ditadura ou democracia, mas sim à vida. É óbvio que vivemos dias cinzentos, reflectidos num céu que teima em não se pintar de azul, contudo, não comparemos o imcomparável. Eu não vivi os anos anteriores ao 25 de Abril, mas sei que nunca os quereria viver.

Não podemos confundir a tecnocracia das políticas actuais, com a repressão de uma ditadura. Hoje, votamos mal e reclamamos passado pouco tempo, porque não temos onde votar bem. Há mais de 40 anos, não votavam, não reclamavam, não concordavam com tantas coisas.

O sentimento de impotência existirá sempre, em relação à política e em relação a tudo, tal como o desgosto, a descrença e a insatisfação. Não podemos é trincar os cravos e engoli-los. As demagogias são tão perigosas como o fascismo. Reclamemos, sim, pois as coisas não estão absolutamente justas, mas jamais viremos à extrema direita. Há a europa dos intelectuais a sucumbir, não sejamos iguais.

Existiu quem batalhasse pela liberdade, tivesse ou não interesses inerentes a isso, não deixemos, portanto, de fruir as vantagens de escrever, falar e ser inteligente. O Fascismo emburrece e disso ainda padece parte do país. A liberdade vem do conhecimento. E é isso que não podemos permitir que nos seja vetado. Que se matem no parlamento fechado, que nos cortem na cultura e no ensino, mas que passemos aos nossos filhos a liberdade do saber. Internet, livros, tertúlias, tudo são ferramentas de conhecimento e, consequentemente, liberdade.

Só valeria a pena “um Salazar por freguesia”, para quem ainda não descobriu o que é a liberdade. Eu descobri ao meu modo e luto por ela. Com ou sem capitães de Abril na Assembleia, lutarei pelo meu conhecimento!

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s