Caminhar

DSCF7437

O mundo não se decide num sopro de iluminismo. Compreende-se na vivência, no arrojo e no erro. Erra e não te perdoes, melhora, cresce, faz acontecer. Desistir só é o caminho possível quando já não há caminho, rumo nem saída. Quando há negro escuro como o fim.

O fim só não é o começo quando acaba, mas só acaba quando é mesmo o fim. Todos os outros finais são o trilho de novos começos. Um novo eu, um novo rumo, um novo melhoramento, um mais conciso conhecimento. Eu conheço-me mal. Vivo comigo há vinte e seis anos e conheço mal, mas como quero viver comigo mais uns cinquenta, sessenta ou setenta anos não me parece mal. A morte é a desistência, não é o finar do corpo. E eu não desisto. Caminho.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s