O meu carnaval

1896725_10202628957397365_863012179_nTerminou, esfumou-se no ar como a chuva que caiu desalmada. É mais um carnaval que vai. Aliás, é mais um carnaval que fica.

Foram meses de alegria, de partilha de vidas com uma finalidade. O fim era o desfile, mas ele é maior que as maquetes que levamos. Uma maquete que se põe na rua são mil histórias, muito mais risadas e laços que se estendem. No meu texto do Ovarnews, falarei do carnaval em geral, de todas as pessoas que o fazem, aqui quero dirigir palavras a todos os amigos que partilharam comigo estes dias, semanas, meses.

São cinco anos que levo de Vampiros e em cada um deles sou mais feliz. Não importa se ganhámos se ganham outros, importa perceber a forma como em reuniões mais sérias e mais galhofeiras começamos a dar forma a ideias que, ao começo, parecem sempre tão abstractas. Cada tira de esponja que leva cola, cada ferro que é soldado, cada tubo que é dobrado, é como um abraço que damos. Um abraço grande, forte, sentido.

Para mim, o carnaval não é só folia e piadas, é uma escola. Em quarenta pessoas, tenho tanto que aprender, tanto que crescer. Há cinco anos juntei-me a vocês, sendo amigo de três ou quatro, conhecendo outros tantos. Hoje, cinco carnavais volvidos, sei que a minha vida seria sempre diferente se não tivesse entrado. Poderia ser mais rica em outras coisas, não duvido, mas não consigo pensar nessa riqueza, quando me sinto afortunado de cada jantar nosso, de cada encontro na sede, de cada sensação de nostalgia quando nos vemos dias depois do fim do carnaval. Em cada um de vocês, conquisto mais um bocado de mim. Uns mais estouvados, outros mais ponderados, outros mais medidos, outros mais responsáveis, mas todos tão importantes.

Não são todos que se podem gabar de ter quarenta amigos. Eu posso. Tenho amigos em mais grupos, fora dos grupos, mas nestes meses tenho uma família de quarenta pessoas, que me completa o agregado. Esse calor não se apaga durante o ano. Sei que vos encontrarei em outros jantares, num simples copo, em mais uma reunião. E isso é uma riqueza que não cabe no bolso, não cabe no coração, não cabe no corpo. Transcende tudo.
Aos Vampiros, todos, deixo o meu obrigado. Ainda me lembro da minha vida sem vocês, mas nunca mais a quero viver. Carnaval de Ovar é folia, mas vocês, amigos, são família. Não há vitória maior que esta saudade imediata! Carrega, Vampirada!

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s