Encostas de Sufoco

mulher, vento, sol, solidão, atenção

Derruis pela encosta do teu desejo,
Deslizando no preceito do teu ajeito,
Como uma flor angelical,
A aguardar ser recebida por um ser dominical.

Embrulhas-te numa pluma de vento,
Corres só, a fugir do isolamento.
Temendo, afinal, a minúcia da solidão,
Para findares a viver em sofreguidão.

Os ventos que se acolhem no teu cabelo,
Sopram pelas feições e formam um rolo
Pleno da tua beleza, que escorre como caracóis,
Que se encandece na alegria de vários sóis.

No dia que o temor te fugir,
Que o consigas ver partir,
Irás sorrir e perceber quanta atenção te vão pedir.

Ral
http://www.bubok.pt/livros/6257/Realidades

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s