Mundos que se tocam, problemas que se criam

complicar, descomplicar, beleza, veredas

Há coisas tão belas como uma melodia a tocar numa paisagem incólume; um pai a beijar um filho, uma mãe a fotografar, a entrar na moldura; um casal a fazer-se feliz no carinho, no afago dos mundos.

Viver não é só procurar o encalacro da vida para ter o deleite do desenvencilhar, de dizer que daquela já se livrou. A sociedade, a doutrina do desenrasca, é que nos viaja para esse caminho indesviável de termos que dissolver problemas para atingir o expoente da realização. Não, não é assim. Não concordo com os que desprezam os vencedores que não tiveram obstáculos. Sabem lá eles a luta que é não ter obstáculos. Só uma mente sã, um corpo sequioso de desmedido prazer, pode alavancar-se por veredas sem receio de não ter problemas.

O povinho gosta de complicar, pois o descomplicar é o certificado de competência. Como pode ser o descomplicar vantagem, quando antes se complicou? O mérito está no não chegar a complicar, o descomplicar, por muito que seja bem feito, já é uma consequência cândida do erro maior.

Chega de complicar, até na hora de elogiar.

Ral
http://www.bubok.pt/livros/6257/Realidades

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s