Vaidade

vaidade, exagero, atenção, fazer

Não é um pecado capital,
Mas não é por isso que deixa ser visto como algo de mal.
Pessoalmente, assim não vejo,
Creio que a nossa auto-estima usa esse apetrecho.

A necessidade de estar bem é saudável.
No entanto, também pode deixar permeável.
É necessário dosear,
Saber estimar sem exagerar.

O exagero, como palavra e significado,
Logo mostra que nos há-de deixar prejudicado.
É preciso vaidade, claro,
Mas não podemos temer cada reparo.

A dose certa é individual,
A um fica bem, a outro menos mal.
Cada qual é cada qual
E não vale a pena tentar fazer igual.

Devemos olhar-nos no espelho e gostar
Mas sem o exagero de só lá estar.
Sermos quem gostamos é felicidade,
Mas sermos o que as regras mandam é precariedade.

A senilidade das modas tísicas, delgadas,
Deixa algumas mulheres enganadas.
A beleza não é de cifrão ou televisão,
É muito mais de inteligência e paixão.

É preciso ser vaidoso, mas não somente na roupa,
Ou será sempre coisa pouca.
Vaidade, naturalmente,
Logo que seja energicamente.

Vaidade no saber, no conhecer,
No aprender e no fazer,
É o que deve acontecer!

Ral
http://www.bubok.pt/livros/6257/Realidades

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s