A bordo

autocarro, camioneta, expresso, viagem longa

Atravesso a estrada,
É plana e cortada.
Rompe dela o verde-amarelado,
Num tom acastanhado.

O silêncio impera,
É fera,
Domina-nos melancólicos –
Apesar de dois rapazes ainda trazerem garrafão de alcoólicos.

A viagem é longa e demorada,
Faz-se uma parte pela auto-estrada
E outra pela nacional,
Sempre com o condutor a levar o pé no pedal.

A fome percorre-me,
Olho as sanduíches e emento-me,
Ainda existe muito caminho a ser feito
E eu já me sinto contrafeito.

Na rádio falam de um acidente,
O caso é pungente.
Um candidato dos Açores embriagado,
De carro matou um jovem, que nem devia ser sinistrado.

Bem, por agora, pararei,
Já vão duas horas de viagem e não cochilei.
O corpo pede e eu vou aceder,
É assim que tem que ser!

Ral
http://www.bubok.pt/livros/6257/Realidades

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s