Ao Luar

ao luar, amor, caaminhoBate, bate forte,
Mas vem distinto,
Vem de norte.
Sorrimos por instinto.

Na frente é o mar,
Aquele revolto carinhoso.
Espelha-se no luar,
E transmite-nos uma sensação de mimoso.

Damos a mão,
Apertamos os corpos,
Unimo-nos pelo coração
E ficamos absortos.

Só eu e tu, tu e eu,
Naquela pedra de luar,
Como um povo amorreu,
Sempre a ver o mar.

Um afecto, um beijo,
Um toque e uma paixão.
Sempre com a luz do brejo,
A iluminar a nossa imensidão.

Agora que o dia está a nascer,
Vou-te apertar no meu peito,
Sabendo que este amor não vai morrer
E que o caminho ainda está a ser feito.

Para encomenda de livros, sem portes: ricardoalopes.lopes@gmail.com
Para compra directa: http://www.bubok.pt/livros/6257/Realidades

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s