Mais um dia

nascer do dia, sol, poesia, estrofes, alegriaEle bate-me, sopra-me de frente.
Desvio-me e não resisto, dissipo a insistência.
Quedo-me a ir pela corrente,
Como prova maior da minha existência.

Está bonito, trajou o melhor fato,
Resplandeceu luz e satisfação,
Benfeitorizando o nosso trato
E ampliando a nossa paixão.

Assim sou mais feliz,
Gozo desta vida de andadeiro,
Em que sorrio que nem um petiz
E caminho por um desfiladeiro.

Sozinho no lume do escritório,
Bato as teclas e olho a janela,
Atendendo a chamada do Sertório
E pensando na praia da favela.

O mundo é grande se o quisermos.
Se não buscarmos a sua exaustão e olharmos à sua minúcia,
Somos próximos
E venceremos com astúcia.

As fronteiras são estadistas,
Imagens criadas por subordinação,
Pelos apologistas
Da resignação.

Eu não aceito,
Não consigo aceitar jamais.
Podem dizer que é defeito,
Mas creio que é somente vontade de mais.

Sou livre dentro da liberdade que tenho,
Neste mundo de exasperação,
Onde o ganho
Está na nossa frustração.

Porém, já me desviei e perdi a corrente.
Escrevi novos dizeres com a ira que tricofitia
Pela vontade pungente
De vos dizer que hoje nasceu mais um dia.

Feliz rima com aprendiz,

Por isso termino a aprender com quem me contraria,

Mas ciente que jamais me deixarei infeliz.

Ou não fosse eu caminheiro de alegria.

Para encomenda de livros, sem portes: ricardoalopes.lopes@gmail.com
Para compra directa:

http://www.bubok.pt/livros/6257/Realidades

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s