E se fores um bocadinho feliz e não souberes?

felicidade, pequenas coisas, alegrias, rir

Muito bonito que está o dia. Todo cheio de luz a inundar-nos a janela, as vestes, as agruras da vida e os rires da simpatia.

Está bonito que dói. Como bonita está a vida, na colheita das coisas favoráveis e más que temos para construir. Não é muito depressa, nem é muito serôdio, para irmos retro do que nos faz felizes, do que nos faz todos tontos das fantasias. Eu sou um bocado feliz, não digo muito, pois ainda quero ser muito mais. Mas feliz sou, ai isso sou.

Já alguém parou para ver como é deslumbrante um vento ténue a bater numa folha, a reluzir num pedaço de água num dia de sol? Já alguém notou a quantidade de sorrisos desconhecidos, de pessoas que não sabemos quem são, mas que também nos furtam um segundo de pele do rosto estendida? Já notaram como é alegre quando acercamos a um sítio, onde sentimos que vamos ser mal atendidos, que a mulher à frente do balcão tem um aspecto de carrancuda, para depois nos aviar com uma simpatia que nos desarma? Já alguém se assomou da ideia de que ficamos felizes a olhar pequenas pessoas felizes? Assim, aqueles meninos de tamanho pequeno, que já caminham como senhores e brincam com pessoas sem problemas?

Já viram como é bonito?

E alguém já parou para olhar com a atenção, todo cheio de cuidado, para a quantidade de pessoas com quem já tagarelou, com quem já confraternizou? De certeza já se riram do amigo tolo, que só diz disparates, mas que sabe-se é todo cheio de boas ideias, e sucessos na vida; de certeza que já todos derramaram uma emoção com o amigo que tem tido pouca sorte, que as coisas não lhe têm corrido; de certeza que já todos foram de férias, ou de fim-de-semana, ou só de passeio e tiveram uma daquelas histórias para a vida; de certeza que todos têm amigos, mais ou menos, que vos completam em alguma coisa; de certeza que já todos ficaram atrapalhados com as palavras sublimes ou gestos de ternura de uma mãe, um pai, um tio ou tia, um avô ou avó; de certeza que já se riram muito de coisas com graça alguma; de certeza que já se sentaram numa esplanada a assistir ao sol a agredir as pessoas na praia, o mar do oceano, a areia do areal; de certeza que já todos passaram por coisinhas destas.

Porque continuam, então, a dizer que a vida é só tristezas?

Para encomenda de livros, sem portes: ricardoalopes.lopes@gmail.com

Para compra directa: http://www.bubok.pt/livros/6257/Realidades

Advertisements

2 thoughts on “E se fores um bocadinho feliz e não souberes?

  1. é sempre bom esta pausa pro cafe mais demorada, em que me sento aqui e me inspiro de boas palavras, positivas, como estas pra aguentar mais um dia que vai ser duro! mt obrigado sr ricardo =P

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s