O dia é da poesia, mas é do Sócrates que se fala

Portugal's Prime Minister Jose Socrates smiles in parliament during a no-confidence vote against the government in LisbonHoje é o dia mundial da poesia, da palavra que rima com sabedoria, alegria e, também, nostalgia e melancolia. Eu não sou afoito dela, pela dificuldade que encontro em acertar compassos, em transformar sonidos belos em sonetos concisos. Sou, porém, um apreciador da beleza das palavras encadeadas, das histórias contadas em prosas ritmadas a métricas. É um trabalho belo, um jogo de palavras sedutor.

Porém, um senhor que liderou o nosso país tornou-se notícia. Usurpou todos os direitos de destaque, que a beleza das palavras poderia ter. Ele não é o único responsável, contudo é um dos que se encontra no jugo da desgraça, o que me deixa de alguma forma incapacitado de compreender esta opção. Aliás, não deixa, o objectivo já está a ser cumprido. Já não se fala de outra coisa, imaginem quando ele furar pelo ecrã e usar daquele encantamento nas palavras, para procurar enfeitiçar a plateia. Vai ser o êxtase das audiências da televisão pública, a forma de se equipararem sem usarem novelas, ou reality shows. No fundo, foram inteligentes no uso do serviço-público, para dinamização do canal. Contestem o que quiserem a direcção da RTP, a meu ver foram génios de enquadramento. Aumento de audiências, com uma utilização pérfida do que é a sua missão: serviço-público.

Não obstante, do outro lado existe mais alguém, no caso José Sócrates. Da parte dele, é que se torna mais incompreensível esta decisão. Quer dizer, com o curso de Filosofia quase concluído, ajeitou-se bem na enormíssima indústria farmacêutica. Já que o país pouco lucrou com a sua passagem pelo governo, ele lucrou bastante com a passagem pelo governo. No meio da catástrofe da governação, há alguém a orientar-se. Isso falou-se, mas passou rápido, pois o Gaspar e o Coelho não demoraram a meter o pé na argola. Por isso, qual o objectivo dele ao aparecer agora? Outros políticos e líderes do país já comentaram, mas tão seguido? Numa fase tão má? Não percebo.

Garantia só uma: ele tem alguma na manga. Burro nunca foi!

Para encomenda de livros, sem portes: ricardoalopes.lopes@gmail.com

Para compra directa: http://www.bubok.pt/livros/6257/Realidades

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s