Cristiano Ronaldo aka Reinaldo

Ontem via um comentador desportivo da nossa praça, daqueles que pode ser político, músico, cozinheiro, ou o que for desde que tenha clube, chamar o “reinaldo” – como o próprio o intitula – de mimado. Concordo, ou não fosse eu mimado também.

Falo de Seara, que até é do meu clube e confessou-se mimado também. Tudo porque aos seus olhos o Ronaldo falhou aqueles dois golos por estar a fazer birra, como comprovou o facto de na altura do hino não ter cantado. Não sei se concordo ou não, sei que é a opinião dele. Daí, naturalmente, veio a discussão da sua diferença de prestações no Real Madrid e na Selecção. O costume, portanto.

Antes de continuar este texto deixem-me asseverar uma coisa: sou completamente fã do Ronaldo e do Mourinho! Agora com a minha, famigerada, “declaração de interesses” feita, sinto-me livre de imparcialidades para prosseguir. Posso concordar que ontem ele falhou dois golos que nenhum de nós queria ver falhados, contudo a discussão que isso despontou só comprova, na minha opinião, o quanto ele é bom. Fosse o Postiga ou o Hugo Almeida a falhar e diriam que é o costume; fosse o Nani ou o Moutinho e esqueceriam, logo que o Varela fez o terceiro. No entanto, até agora só disse o óbvio, penso eu.

Ele passeia-se nos melhores carros do mercado, veste as roupas mais caras, é conhecido em cada cantinho deste planeta, fala com um estilo muito característico e joga futebol como poucos na história, mas acima de tudo é humano. Será que por vezes esquecem-se disso? Aliás, creio que ele paga uma factura que é passada por ele. Ou seja, ele obriga-se a melhorar de dia para dia, com isso consegue que as pessoas o obriguem a melhorar de hora em hora.

– Viste aquele golo que o Ronaldo marcou de livre? Que golaço!

– Oh, já o vi marcar melhores.

É a nossa natureza, pouco há a fazer. Os maus fazendo algo de bom são os maiores por um dia, os bons concebendo algo de incrível deveria, evidentemente, ser melhor. Eu acredito que o Ronaldo aprecie que assim seja. Quem diz o Ronaldo, diz o Mourinho.

Logo de seguida vem a mais dilacerada discussão: Ronaldo no Real, Ronaldo na selecção. Já pensaram que nós próprios temos influência nisso? No Real ele é idolatrado pelos espanhóis, pelos americanos, chineses, mais meio mundo, e faz golos que se farta. Quando chega à selecção do seu país, que ele nunca renegou, pelo contrário, tem os seus “irmãos”, de nacionalidade, a preencher jornais, revistas e conversas de café com críticas. Vemos um ministro fazer o que quer e a discussão dura uma semana; vemos Ronaldo fazer um jogo menos conseguido e a discussão dura um mês. Percebem o que pretendo dizer? Não estou a falar de pressão, que essa tem em todo lado, falo de tirar-lhe o prazer de jogar. Ele no Real é um jogador feliz em campo, na selecção parece-me que em diversas vezes perde isso. Aliás, acho que qualquer um perderia se soubesse que ganhando ele não foi o responsável – aí foi a selecção – mas perdendo é porque ele não fez o que faz no Real.

Aposto que alguns dirão: ao que ele ganha tem que estar sempre feliz. Amigos, se assim fosse não existiam livros de psicologia, só de cheques.

Arrogante? Se já tivesse ganho o que ele ganhou, se fosse admirado com ele é, garanto-vos que seria muito mais. Mas isto sou eu… mais um daqueles portugueses que não presta!

2 thoughts on “Cristiano Ronaldo aka Reinaldo

  1. Boas Ral,
    Concordo com muito do que escreveste. Talvez discorde apenas no último parágrafo (se bem que acho que o escreveste com alguma ironia 😉 ) Gosto do Ronaldo e momentos maus, todos nós temos. As críticas e os comentários ao desempenho do Ronaldo na Selecção não são de agora e julgo que, com maior ou menor intensidade, começaram durante/após o Euro 2008 – a primeira grande competição depois do 4º lugar no Mundial. Mais do que a falta de golos marcados por Portugal, eu acho que os portugueses criticam o Ronaldo porque ele não foi capaz de desempenhar um posto que lhe foi destinado (depois do Mundial 2006) da mesma forma que esse posto fora desempenhado até então: o posto de líder de grupo (mais do que o posto de capitão…). Basicamente é isto: julgo que consciente ou inconscientemente, os portugueses desejariam que o Ronaldo fosse o que o Figo foi: um jogador de classe mundial com uma postura típica de um líder forte, aglutinador e consensual dentro e fora do país. O Ronaldo é, sem dúvida, um jogador de classe mundial e já marcou MAIS GOLOS (5 contra 2) que o Figo em fases finais. No entanto, tem uma postura que no meu ponto de vista deixa a desejar… É talvez por ter essa arrogância e postura de diva (que o Figo não tinha) que a malta lhe cai em cima. Talvez não seja nisso que os portugueses se revêem. Por exemplo, não me acredito que o Figo desse respostas do tipo “Perguntem ao Carlos Queiróz” ou comentários como o que o Ronaldo fez ontem quando um jornalista lhe falou do Messi. No que o Figo era um “Senhor”, parece que o Ronaldo é um “Garoto”.
    Possível objecção: o Mourinho é um pouco arrogante e todos os portugueses o adoram…! Tudo bem, mas mesmo assim, julgo que a arrogância do Mourinho tem algo de estratégico, tem uma finalidade bem definida. A do Ronaldo, nem por isso…
    Apesar de tudo, só espero que no Domingo me chamem todos os nomes e mais alguns por ter escrito isto…Talvez seja sinal de que Portugal passou, fez um grande jogo e que o Ronaldo partiu a loiça toda!
    Até Sábado!
    Abraço

    • Mário, obrigado pela abertura de “discussão” 🙂

      Mas repara que o Figo, apesar de tudo o que falaste, também nunca foi consensual. Vulgarmente era criticado pela troca que fez do barça para o real, pela aparente falta de apoio ao Sporting, por ser um interesseiro e mais recentemente por ter escolhido a Espanha para viver. Mas, claro, ninguém agrada a gregos e troianos.

      Eu até concordo em parte com o que dizes, mas repara que o Ronaldo em 2004 tem dezanove anos, em 2006 vinte e um, em 2008 vinte e três, em 2010 vinte e cinco e agora vinte e sete. O figo em 2000 tem 28, em 2002 trinta e em 2004 trinta e dois. Será justo colocar ao Ronaldo a pressão de ser aos vinte e poucos o que o Figo era aos trinta? Não me parece, porque por mais que seja um jogador fenomenal é uma pessoa…e as pessoas vão amadurecendo com os anos!

      Ontem quando questionado sobre os seus falhanços disse: “Podia ter feito melhor, mas o importante é que a selecção ganhou!” É um chavão, sem dúvida, mas não é, exactamente, o chavão que ele tinha que usar? Talvez, quem sabe, esteja agora a caminhar para ser o líder que o Figo foi… na altura devida!

      Grande abraço e que ganhemos no domingo 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s