Para a frente é que é caminho

 

Todos temos algo de meticuloso em nós, creio. Uns são os chamados “qualquer coisa-compulsivo”, outros são apenas aqueles que cuidam, com apreço e organização, determinadas peças que são fruto de paixões.

Declaro, sou muito desarrumado. As minhas calças, invariavelmente, são arremessadas para o topo da cama, as t-shirts, não raras vezes, pousadas na cadeira, os casacos amontoados na porta do quarto, até serem guardados. Material antigo, apontamentos? Prefiro nem falar disso. Uma vergonha. Sou desarrumado, não por natureza, mais por preguiça. Todavia, existe algo que guardo, singelamente: sonhos.

Organizo a minha cabeça como uma estante. Ou será o coração? Agora não consigo precisar. Sei que por vezes as estantes têm um problema, dão demasiado destaques aos arrumos da frente, esquecendo os de trás. É natural que assim seja, na vida soma-se, não se subtrai, ou não se devia subtrair. Contudo, eu se agora tenho novos sonhos, é porque um dia tive antigos. São ostracizados? Não creio.

Se hoje alimento sonhos, cheios de razão de ser, o enquadramento deles terá que ser feito pelos anteriores. Por mais destrambelhado que eu seja, e sou, existe um fio lógico em mim. As coisas vão-se organizando, conforme a minha evolução. Sim, eu sinto que tenho evoluído, muito até. O suficiente? Não me parece, quero evoluir mais.

Existem dias, semanas, que andamos sem norte, com dificuldade de nos encontrarmos. Como quando saímos de casa e de repente nos questionamos: Que raio, onde é que eu ia? O que tinha que fazer? Eu tenho fases que estou a caminhar para a frente, contudo, não sei se é para a frente que quero ir. Sim, eu sei, que para a frente é que é caminho, mas é quando sei o destino. Por muito que queira aproveitar a, famigerada, viagem. Nesses momentos tento olhar para o lado, para a minha estante de sonhos. Aí gosto de fazer o que sou verdadeiramente um pro a fazer: desarrumar. Vasculho nessa minha estante. Atiro para o chão os sonhos da frente e vou bisbilhotar nos de trás. Até que encontro aquele sonho que está escrito apenas até meio, e ai percebo de onde comecei a escrever este que agora me está a fazer caminhar, sem saber para onde. Tudo se torna mais lógico. Sinto-me muito mais capaz de olhar para o lado e sorrir, ai sim, sempre a caminhar para a frente.

Não é vergonha voltar atrás… quando sabemos que para frente é que é caminho!

2 thoughts on “Para a frente é que é caminho

  1. =)
    ja tinha saudades de andar por aqui a vascular e ler aquele texto cujo titulo desperta uma forte curiosidade em mim! e como já é habito dizer-te, gostei, adorei até!
    grande abraço, e obrigado pelo cantinho de casa que encontro sempre aqui!

    • Grande, Zão 🙂

      Não sabes como é bom, por vezes, abrir o blogue e ter um desses teus comentários. Daqueles que me dá vontade de escrever mais um bocadinho. Um obrigado, mas um obrigado, mesmo muito grande 🙂

      Grande abraço, amigo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s