Elogio à descrença, voto à crença

Vivemos emaranhados numa vida difícil de gerir com a atempada necessidade de felicidade.

Os nossos sorrisos sedutores, felizes, em diversos momentos vêm nos olhos franzidos, no encolher de ombros, no cabisbaixo, os seus substitutos naturais. A alegria, a perseverança, de sentir que viver é uma dádiva, que a cada dia somos contemplados com: uma árvore que apesar de existir há milhares de anos só naquele dia se tornou nova para nós; uma pessoa até ali desconhecida, que seja por uma breve troca de palavras ou por um olhar cruzado, que nunca mais repetiremos, será lembrada; o cruzar do dia, o vento que sopra direito a nós, a chuva que nos salpica, o sol que nos abrasa, o calor que nos aquece, o frio que nos encolhe, que nos proporciona os ensejos à lareira; uma criança que nasce, um choro limpo de sofrimento, anexado apenas a uma novidade, a uma habituação à sua de casa de futuro; um novo amor que se cria, um velho que se reata, um bem presente que se mantém; um filho que beija o pai, uma mãe que beija ambos; uma zanga que fortalece uma amizade; uma zanga que cria uma amizade; uma vida que sobe e desce ao ritmo do nosso bater do coração;

Escritórios lotados; telefones ensurdecedores; máquinas a deslizar a chapa, a cortar o ferro; pessoas telecomandadas em funções minuciosas; batas, fatos-macacos e ternos; horas de frente a livros, pilhas de papelada; formam a nova realidade, não do presente que lidamos, do passado que agora ambicionamos de volta. O que um dia foi o causador da doença do século passado, do famigerado stresse, hoje não é mais que o movimentador da peste do novo mundo: depressão.

Não conseguimos absorver a simplicidade, porque a angústia, a incerteza, têm entranhas muito mais fortes que qualquer ápice de alegria, de satisfatória crença.

Não sei o futuro que isto, nós, teremos, mas sei que:

Só há chuva porque há céu,

Só há ondas porque há mar,

Só há choro porque há olhos,

Só há esperança porque há tristeza…

Eu não deixarei de acreditar… hoje, amanhã e sempre, que um dia voltarei a sorrir de cara lavada e olhos brilhantes!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s