Mesa de café

Madeira, formica, alumínio, chapa ou plástico, são normalmente a sua base. Trabalhadas e desenhadas, simples e sombrias, são assim que normalmente se apresentam. Mesas de café.

Já vivi conversas longas, sérias e divertidas, momentos de cumplicidade, de encanto e sedução, de charme e estapafúrdios, de divertimento e de sofrimento, de alegria e constrangimento, já fui rei e já estive envergonhado, tudo em mesas de café. Um elemento sem vida, completamente abstracto e insignificante aos olhos de quem as usa, mas de uma importância inegável.

Tenho dificuldade de passar largos períodos de tempo em casa, tenho uma electrizante vontade de viver, assim diversas vezes encontro nas, inanimadas, mesas de café uma companhia, um confidente, ou uma testemunha das minhas conversas com pessoas que marcam o meu dia, a minha vida, a minha passagem. Ontem, em plena foz do Porto, acompanhado de cinco amigos, amigos de uma vida, com a mesa adornada por alteados copos de Erdinger, simples copos de finos, ou pomposos copos de vinho, cadeiras e bancos de madeira, decoração de pub britânico, música de The Smiths ou Moloko, janela virada para um atlântico que choca na areia nortenha e chuva contínua, assertiva, a esbater-se numa delicada película de vidro que completa a armação da janela que tínhamos para o mundo, faziam o enquadramento das nossas conversas. Banalidades, futebol, música, política e por fim política. Falamos de política duas vezes. Até que num momento fortuito, não consigo precisar a exactidão dele, me ocorreu: se as mesas de café ganhassem vida, se partilhassem a histórias e estórias que junto ao elas são contadas, qual seria a importância delas? De que forma condicionaríamos a leveza de uma conversa de café? Continuaríamos a brincar com o que até agora brincamos? Expúnhamos as opiniões que agora expomos? Faríamos as confissões que agora fazemos? Procuraríamos a companhia delas que agora procuramos? Aceitaríamos de bom grado o silêncio delas que agora aceitamos?

Desculpem este devaneio. Poucos me conhecem tão bem como as mesas de café, as mortas mesas de café.

Advertisements

2 thoughts on “Mesa de café

  1. cuidado, porque as mesas de café têm ouvidos….
    …esquece, isso são as paredes. 🙂
    já agora, aguardo pelo convite para a próxima vez na foz hehe

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s