Blogue de Moda

Desculpem, não resisti a usar-vos! Magnetiza-me a atenção o sucesso alcançado pelos blogues de moda. A forma viral como se têm propagado, como os seus criadores têm tempo de antena na televisão pública, como as marcas os contactam. Não resisti em perceber quantas pessoas me viriam ‘visitar’ com este título.

Com isto não estou a fazer qualquer censura, pelo contrário. Fascina-me, de forma sincera, este fenómeno, da mesma forma que me seduz o mundo da moda. Não ao ponto da irreverência de muitos dos que estudam artes ou moda e enchem as plateias de desfiles com insubordinação e diversidade, ao nível do vestuário. Lantejoulas, pregas e sandálias duvidosas. Atrai num sentido de bem vestir, de ter atenção ao detalhe. Não sou um modelo, duvido que me possa considerar um metrossexual, mas, garantidamente, sou alguém que tenta ter cuidado com a imagem, que se preocupa com o que veste, com a combinação das cores. Por tudo isto, não estou aqui a reprovar, estou a expor o meu gosto, deslumbramento, por esta área. Poderia seguir uma lógica de crítica, típica de muitos mal vestidos ou de envergonhados em confessar o seu ‘metrossexualismo’, mas eu prefiro revelar-me. Sou incapaz de passar horas num shopping, mas sou bem capaz de passar lá muitas vezes. De comprar várias vezes.

O termo metrossexual remete-nos para a década de 90, quando Mark Simpson, jornalista britânico, fez a junção de metropolitano com sexual, para definir os homens com excessiva preocupação pela imagem. Homens que gastavam grande parte do seu tempo e dinheiro em cosméticos, acessórios e roupa, sempre atentos às tendências. Tenho dificuldade de me atentar como metrossexual por esta definição. Não me recordo de quando comprei um cosmético, nem que seja um hidrante. Excepção feita a momentos com a minha namorada ou raras vezes guiado pela curiosidade, visitei blogues de moda ou vi desfiles e colecções.

Assim sendo, penso que sou um ‘metroassexuadito’! Gosto de roupa, de me vestir bem, mas por intuição minha. As tendências fazem os meus vizinhos, os actores que aparecem na televisão e todos os que se vistam de uma forma que me agrade. Quanto aos cosméticos, ainda está ao critério da minha mãe!

“Sendo a moda a imitação de quem pretende dar nas vistas àqueles que não o desejam, resulta daqui que ela muda automaticamente. Mas os comerciantes acertam esse relógio.”

Valéry, Paul – Poeta e pensador Francês (1871-1945)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s