As verdades condicionadas dos patriotas de algibeira

Não faz muito tempo que a sociedade portuguesa, os patriotas de algibeira, se deliciavam a criticar Alexandre Soares dos Santos – Presidente do Grupo Jerónimo Martins. Acusando-o de falta de patriotismo, de egoísmo. Ele que tantos postos de trabalho cria e mantém, que lidera um dos grupos que mais movimenta a economia nacional, aos olhos de alguns não passa de uma pessoa que renega os interesses do seu país. Pergunto-me apenas se não serão pessoas que compram bolachas, arroz e azeite alemão, no Lidl, que o criticam. Muitos poderão não saber e eu próprio posso não ter a certeza se é verdade, mas a justificação dele é bastante plausível: «Eu não pretendo estagnar o investimento do grupo Jerónimo Martins, dessa forma tive que procurar um país que a banca me garantisse financiamento». Como referi, não sei se ele falará totalmente verdade, sei apenas que no outro dia conversava com um amigo que trabalha numa empresa que fez um investimento de 6 milhões de euros, curiosamente qualquer um dos 4 bancos que com a empresa trabalha negou o financiamento. Uma empresa que nesta conjuntura tem avultado negócio, anualmente. Por isto se torna mais fácil, para mim, credibilizar as palavras do Sr. Alexandre Soares dos Santos.

E agora, ninguém fala? Sabem que é o Sr. Mário Ferreira? Sabem que ele é dono da empresa Douro Azul? Sabem que estava a negociar 4 navios, no valor de 50 milhões de euros, com os estaleiros de Viana? Sabem que o estado criou entraves ao negócio? Sabiam que ele já entregou a obra de 2 desses navios a outra empresa portuguesa? A Martifer, da zona de Aveiro.

Sabem porque falo disto? Porque este Senhor – Mário Ferreira – após uma negociação impossível de levar a bom porto pelas constantes intervenções estatais, sem um rosto definido como líder negocial, não desistiu de fazer um considerável movimento económico no nosso país, entregando a construção de 2 navios, no valor de 22 milhões de euros, a uma outra empresa portuguesa. Os patriotas de algibeira porque não aparecem agora? Porque não dizem que todos deviam ser como ele? Porque não mencionam que facilmente ele faria este negócio lá fora com valores mais rasos?

Posso adiantar-vos que a Martifer tinha uma proposta de 11,03 milhões de euros por navio, enquanto a De Hoop, holandesa, apresentava uma de 10,85 milhões por cada navio. Volto a perguntar: onde estão os patriotas que tanto criticavam o Sr. Soares dos Santos? Sentem que para elogiar não vale a pena? É isso?

Não me apetece terminar já. Posso avançar que no próximo ano o Sr. Mário Ferreira, personificando a Douro Azul, irá adjudicar a construção de mais dois navios, irá investir em barcos rabelos, autocarros e helicóptero. Não pensem que terminou, irá ainda requalificar um quarteirão na baixa do Porto, que irá corporizar a sua sede. Ainda não chega para elogiar?

Portugal ainda está minado de mentalidades tacanhas, mesquinhas, de pessoas que apenas se conseguem sobrevalorizar na crítica aos outros. No entanto existem honrosas excepções, basta-nos ser uma delas.

Parabéns Sr. Mário Ferreira, pelo seu brilhante desempenho na Douro Azul, pelo seu patriotismo e parabéns Martifer pelo excelente sentido de oportunidade e boa gestão.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s