Shhiiuu… não fale que ainda leva o Óscar!

Eis que um filme a preto e branco, mudo e francês, vence o Óscar de melhor filme e ainda arrebata o de melhor actor e realizador. Tendo ficado o de melhor actriz para Meryl Streep pela interpretação em “Dama de Ferro”.

Não sendo um crítico cinematográfico, ou sequer muito entendido na sétima arte, parecia-me que o óscar de melhor actriz há algum tempo que permanecia ‘entregue’. No entanto, no que toca ao melhor filme, melhor actor e melhor realizador não deixo de ficar surpreendido. Para alguns apreciadores desta arte poderá ser um galardão pouco surpreendente pela particularidade do filme, para mim é: por tudo o que esta vitória simboliza.

Não conhecendo as películas não posso debater qual o melhor e qual o pior, posso é chamar a atenção para nos Estados Unidos, alguns anos após ser um negro a ganhar o direito de velejar o destino do país, considerado o mais importante do mundo, a academia cinematográfica entregar 3 dos seus 4 prémios mais importantes a franceses. Europeus sem qualquer raiz norte-americana. Não sei a quantidade de vezes que existiram entregas a ‘não-americanos’, mas esta, para mim, não deixa de ser inesperada por todos os handicaps do filme.

Estarão os arrogantes americanos a abrir-se ao mundo? Defino-os como arrogantes, apenas, pelo total desconhecimento que eles apresentavam por todas as culturas diferentes. Correndo aqui o risco de definir os Estados Unidos, um país sem história ou raízes próprias, como um país com cultura. De facto, políticas à parte, eles tornam-se marcantes pelo glamour de Hollywood, pelo imaginário que em todos nós existe de enormes explosões em filmes que apenas eles podem conceber, por todos os meios que possuem. Como ganhou um filme a preto e branco e mudo? Como entregam a sua presidência a um negro? Como o melhor actor e realizador são franceses? Estará o sonho americano a tornar-se num sonho mundial?

Não conheço o filme, nem o vencedor nem os vencidos, não conheço o trabalho do actor ou realizador, mas demonstro o meu agrado pelos precedentes que os Estados Unidos vão abrindo, consciente ou inconscientemente. Um bem-haja à ‘aldeia global’.

PS – “O Artista” é o nome do filme, Jean Dujardin é o nome do melhor actor e Michel Hazanaviciu é o nome do melhor realizador.

4 thoughts on “Shhiiuu… não fale que ainda leva o Óscar!

  1. De facto nao deixa de ser surpreendente, apesar de ter sido muti falado que era o principal candidato a esses 3 titulos!
    Se a mentalidade americana esta a mudar nao sei, mas espero que sim!! =)
    Os norte-americanos sao de facto dos melhores em grande parte das inovaçoes do mundo, mas muitas das vezes com “cabeças” estranjeiras!e cada vez mais todo o mundo tem consciencia disso!…pelo que vejo estao de facto a ficar mais abertos á ideia que o mundo nao é deles e que eles nao sao ninguem sem o resto do mundo… é uma ideia apenas, mas é tambem um desejo!e fico contente por estes oscaresm ainda nao vi o filme, mas acredito que valera a pena! =)

    • Eu não considero que eles sejam lideres na inovação, considero sim que são especialistas em tornar as inovações em alto tangível. No fundo em aproveitar as ideias de outros para uma realidade deles, que posteriormente passa a ser mundial. Isso motivado, quase exclusivamente, pelo poderio financeiro e económico, mas também pelo enorme aproveitamento das ‘mentes brilhantes’. Aproveitamento esse que também advém da capacidade económico-financeira, dá-lhes as bases de estudo necessárias. Sendo isto um ciclo vicioso é natural que eles se mantenham na ‘liderança’ do mundo. Como dizia o outro: dinheiro faz dinheiro!

      Fora tudo isto, é um país que inegavelmente me fascina pelo sonho americano, pelo encanto que Hollywood cria, se tudo isto se abrir ao mundo ainda mais apetecível se torna. Penso que no final de contas mais uma vez sairão eles a ganhar, mas se pelo menos ‘nos’ respeitarem já será um considerável passo para um mundo melhor.

      • Ok, totalmente de acordo c seres especialistas nessa area, e retiro um pouco o que disse!era mais isso que queria dizer…faltam palavras quando as conversas diarias sao apenas de cafe…tenho que estimular mais esta memoria de palavras…
        Qto ao sonho americado e a magia de hollywood, acho que devem sim abrir um pco esse misterioso ao resto do mundo, mas nao totalmente, se nao nao deixaria isso de ser misterioso e se tornaria banal?!

      • Percebo o que queres dizer e faz, perfeitamente, sentido. Só que quando me refiro a abrirem-se ao mundo não me refiro exclusivamente ao encanto e magia que Hollywood cria, refiro-me principalmente à mentalidade deles, à abertura a outras culturas. Ao retratar de histórias e vivências típicas de outros países, a beberem um pouco da inspiração que também existe em outros sítios.

        Já imaginaste o Clooney a comer cozido à portuguesa e a citar Fernando Pessoa? Já imaginaste o Obama a dizer que adora o seu cão de água de raça portuguesa? Já imaginaste o John Stewart a dizer que a bela Daniela Ruah é de um Portugal à beira mar plantado, de clima ameno e gastronomia apetecível? É mais neste sentido que me refiro, Zao!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s